DIREITO DO CONSUMIDOR NOS SERVIÇOS DE ATENDIMENTO À PESSOA SURDA

  • CAIO ENZO SILVA FONSECA
  • DULCILENE SARAIVA REIS
  • ACSA LILIANE CARVALHO BRITO SOUZA

Resumo

A pessoa surda consome produtos e serviços como qualquer pessoa, portanto deve obter um atendimento de acordo com as suas necessidades. É pertinente a explanação das dificuldades enfrentadas pelos consumidores surdos quando adentram em estabelecimento comercial. A análise deste artigo baseia-se no município de Porto Velho/RO, observando se as empresas estão adequadas com as orientações descritas no art. 26, do Decreto nº 5.626/2005. Devendo ser examinado se houve mudanças após instauração do referido decreto. A coleta de informações foi possível por meio de análise de documentos fornecidos por órgão governamental de fiscalização e entrevista com a comunidade surda. Obtendo-se resultados que relatam a necessidade de capacitação dos funcionários ou a implementação de Intérpretes, visto que a comunidade surda esteja em busca de acessibilidade, ao comprar um produto. E com o avanço tecnológico, houve uma facilitação para o surdo poder obter produtos, valendo-se da internet. Entretanto as informações prestadas ainda não são suficientes para sanar o diálogo entre consumidor surdo e fornecedor/prestador de produtos ou serviços. Os consumidores surdos ainda preferem efetuarem suas compras e sanarem problemas de maneira presencial, dessa forma é muito importante essa mudança no corpo laboral das empresas para que sejam capazes de atendê-los, e deixarem de usar “mímica” ou escrita em papel. Portanto conclui-se que as empresas devem investir em cursos de capacitação em Libras aos colaboradores.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
25-05-2021
Como Citar
FONSECA, C. E. S. ., REIS, D. S. ., & SOUZA, A. L. C. B. (2021). DIREITO DO CONSUMIDOR NOS SERVIÇOS DE ATENDIMENTO À PESSOA SURDA. JusFARO, 2(2). Recuperado de https://revistas.faro.edu.br/JUSFARO/article/view/400