Orçamento custeio das Instituições de Ensino Superior no Brasil

  • José Nilton Leite de Oliveira Faculdade de Rondônia - FARO
  • Armando Araújo de Souza Junior Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Resumo

Para a sustentabilidade financeira das Instituições de Ensino Superior é fundamental otimizar a alocação estratégica dos custos do serviço de educação, diante desse contexto, este trabalho apresenta uma análise da literatura sobre orçamento custeio e tem como objetivo apresentar um estudo sobre os modelos de orçamento custeio de Instituições de Ensino Superior no Brasil. O estudo foi conduzido por meio de uma pesquisa qualitativa, exploratória descritiva, pesquisa documental e bibliográfica. Foi realizada em dezembro de 2018 e analisou 485 publicações, dentre as quais artigos, dissertações e teses, nas bases de dados eletrônicas Portal de Periódicos CAPES/MEC, Rede SciELO e Google Acadêmico. Foram analisados, também, relatórios estruturados de cinco empresas do segmento Serviços Educacionais listadas na Bovespa. As principais conclusões retratam que: (a) as Instituições Públicas de Ensino Superior adotam, com algumas variações, o modelo proposto pelo MEC e proposto pela Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES); (b) há um alto grau de dificuldade em obter dados para a pesquisa relacionados as Instituições Privadas de Ensino Superior, visto que as informações são de natureza gerencial, ou seja, são informações de cunho estratégicos para o crescimento da empesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Nilton Leite de Oliveira, Faculdade de Rondônia - FARO
José Nilton Leite de Oliveira é mestrando em Engenharia de Produção, pela Universidade Federal do Amazonas – UFAM. Especialista em Educação a Distância, pela Universidade Castelo Branco – UCB; Docência do Ensino Superior, pela Universidade Castelo Branco – UCB; Controladoria e Gestão Financeira pela União das Instituições de Formação Continuada – UNINTES. É Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL; e Administração pela Faculdade de Ciências Administrativas e de Tecnologia – FATEC. Atualmente coordena os cursos de Administração e Ciências Contábeis da Faculdade de Rondônia – FARO.
Armando Araújo de Souza Junior, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Armando Araújo de Souza Júnior é Administrador de Empresas, com ênfase em Comércio Exterior, graduado pelo CIESA, possui MBA Executivo em Gestão da Produção também pelo CIESA, Especialista em Produção de Material Didático EaD pela UFAM, Especialista em Gestão dos Hospitais Universitários Federais do SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês em SP. Mestre em Engenharia de Produção pela UFAM. Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

ALVES, Edvan Santana; Um estudo sobre a alocação interna dos recursos orçamentários nas universidades federais brasileiras; Orientador: Marcelo Embiruçu; Dissertação de mestrado; Universidade Federal da Bahia; Salvador. 2016.

ARAÚJO, F. J. A.; CABRAL, A. C. A.; SANTOS, S. M.; PESSOA, M. N. M.; Gestão Estratégica em Instituições Privadas de Ensino Superior. Revista GUAL, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 71-91, janeiro, 2018.

BRASIL – MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – MEC. Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) – Diretrizes para Elaboração. Brasília, DF, dez. 2004b.

BRASIL BOLSA BALCÃO; Empresas listadas, Setor de Atuação; Disponível em: <http://www.b3.com.br/pt_br/produtos-e-servicos/negociacao/renda-variavel/empresas-listadas.htm>; Acesso em: 15 dez. 2018.

BRASIL. Decreto No 9.235, de 15 de dezembro de 2017, Brasília, DF, dez. 2017a.

BRASIL. Lei n. 10.861, de 14 de abr. de 2004. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES, Brasília, DF, abr. 2004a.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Notas Estatísticas – Censo da Educação Superior 2017. Brasília, DF. 2017b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Superior. A coleta de dados das IFES para Alocação de Recursos Orçamentários. Brasília, nov., 2006.

CHANG, Alvin; CHAO, Chih-Yang; Budget Allocation for Information Logistics in Taiwanese University; Journal of Modern Accounting and Auditing, Vol. 12, No. 6, 344-353, June 2016.

DUARTE, Marluce Braz; A execução orçamentária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais, no período de 2012 a 2015; Orientador: Simão Pereira da Silva; Dissertação de mestrado; Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Teófilo Otoni. 2017.

GORI, Rodrigo Soares Lelis; Modelo de distribuição de recursos orçamentários baseado em indicadores de desempenho para um instituto federal de educação, ciência e tecnologia; Orientador: Daniel Pacheco Lacerda; Dissertação de mestrado; Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo. 2016.

GRIBOSKI, Claudia Maffini; PEIXOTO, Maria do Carmo de Lacerda; HORA, Paola Matos da; Avaliação externa, autoavaliação e o PDI; Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 23, n. 1, p. 178-197, mar. 2018.

KNECHTEL, Maria do Rosário. Metodologia da pesquisa em educação uma abordagem teórico-prática dialogada [livro eletrônico]. Curitiba. InterSaberes, 2014.

MERCHEDE, Alberto; MOREIRA, Francisco Otávio. Custos e formação de preços para instituições de ensino: tributos e análise de investimentos. São Paulo: Atlas, 2011.

PADOVEZE, Clóvis Luiz; TARANTO, Fernando Cesar. Orçamento empresarial: novos conceitos e técnicas. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

QUEIROZ, Fernanda Cristina Barbosa Pereira; QUEIROZ, Jamerson Viegas; HÉKIS, Hélio Roberto; GESTÃO ESTRATÉGICA E FINANCEIRA DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO; Iberoamerican Journal of Industrial Engineering, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 98-117, julho, 2011.

REIS, Cisne Zélia Teixeira; OLIVEIRA, Adriel Rodrigues de; SILVEIRA, Suely de Fátima Ramos; CUNHA, Nina Rosa da Silveira. Modelo orçamentário das universidades federais: fatores motivadores e inibidores de sua institucionalização. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, vol. 10, núm. 6, 2017, pp. 1081-1100. Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, 2017.

SANTOS, Alexandre Rodrigues; MOURA, Heber José de. O Orçamento e o desempenho nas Universidades Federais entre 2005 a 2014. Revista FSA, Teresina, v. 14, n. 3, art. 1, p. 03-27, mai./jun. Brasil. 2017.

SER EDUCACIONAL; Viva Ser: encontro dos investidores; Apresentações e Teleconferências; Apresentação institucional Viva Ser. 16 set. 2014. Disponível em: < http://ri.sereducacional.com/sereducacional/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&conta=28&tipo=47941&id=0&submenu=0&img=0&ano=2014>; Acesso em: 10 dez. 2018.

SILVA, Rochele Santos; O mapeamento dos processos orçamentários do Centro de Ciência da Saúde da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Orientador: Reisoli Bender Filho; Dissertação (mestrado); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Rio Grande do Sul. 2016.

VOLTZ, Marcos Fabrício; SCHMIDT, Paulo; DOS SANTOS, José Luiz. Orçamento base zero e orçamento matricial: vantagens e desvantagens de sua utilização. Caderno de Administração - v. 25, n. 1. 2017.

WERLANG, Elisabete. Revisão por pares: um estudo da gestão de avaliadores nas revistas científicas brasileiras. Universidade Federal de Santa Catarina. 2013.

Publicado
29-07-2019
Como Citar
Oliveira, J. N. L. de, & Souza Junior, A. A. de. (2019). Orçamento custeio das Instituições de Ensino Superior no Brasil. Revista FAROCIENCIA, 8(1). https://doi.org/10.36703/farociencia.v8i1.243
Seção
Engenharia Produção - Pós-Graduação